Bolsonaristas recorrem ao TSE para tentar deixar PSL sem perder o mandato

Redação Brasil
Read Time2 Minute, 28 Second

Eduardo e deputados aliados a Bolsonaro tentam na Justiça Eleitoral deixar PSL© Reprodução/Twitter/@BolsonaroSP Eduardo e deputados aliados a Bolsonaro tentam na Justiça Eleitoral deixar PSL

A ala que apoia o presidente Jair Bolsonaro no seu ex-partido, PSL, pediu ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a saída da legenda sem a perda de seus mandatos. Ao todo, 25 deputados protocolaram nesta 3ª feira (17.dez.2019) ação declaratória de justa causa para desfiliação partidária. O relator da matéria será o ministro Luiz Edson Fachin. Eis a íntegra.

O grupo alega perseguição e cita autoritarismo da cúpula da sigla. O PSL é comandado pelo deputado Luciano Bivar (PSL-PE), que entrou em rota de colisão com Bolsonaro em 1 racha no partido.

Eis a lista dos congressistas que pediram a saída do PSL: Carla Zambelli (SP), Bibo Nunes (RS), Alê da Silva (MG), Aline Sleutijes (PR), Bia Kicis (DF), Carlos Jordy (RJ), Caroline de Toni (SC), Chris Tonietto (RJ), Daniel Freitas (SC), Daniel da Silveira (RJ), Eduardo Bolsonaro (SP), Léo Motta (MG), general Girão (RN), major Fabiana (RJ), Filipe Barros (PR), Junio do Amaral (MG), Helio Lopes (RJ), coronel Chrisóstomo (RO), Luiz Ovando (MS), coronel Armando (SC), Luiz Lima (RJ), Luiz Philippe de Orléans e Bragança (SP), Márcio Labre (RJ), Sanderson (RS), e major Vitor Hugo (GO).

O documento pede ainda que sejam ouvidos, em depoimentos pessoais, o presidente do partido, Luciano Bivar (PSL-PE), e os deputados Filipe Barros (PSL-PR), Carol de Toni (PSL-SC), Carla Zambelli (PSL-SP) e Bia Kicis (PSL-DF).

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) anunciou a ação em seu Twitter. Ela cita que já foi alvo de 2 pedidos de cassação. Os bolsonaristas foram suspensos das atividades no Congresso pelo partido.

© Fornecido por Poder360

O Diretório Nacional do PSL anunciou, em 3 de dezembro, a suspensão do deputado Eduardo Bolsonaro (SP), líder do partido na Câmara, por 12 meses. Outros 17 deputados da legenda que compõem a ala bolsonarista na Câmara também foram punidos. Foram 14 suspensões e 4 advertências. As punições foram suspensas uma semana depois, por decidiu da Justiça.

É importante para os deputados conseguirem a aprovação da desfiliação com justa causa porque, desta forma, levam seus mandatos e sua cota do fundo partidário junto consigo para a próxima sigla.

RACHA NO PSL

O presidente Jair Bolsonaro anunciou que deixaria o PSL e criaria uma nova legenda –chamada Aliança pelo Brasil– em 12 de novembro. O anúncio foi feito em reunião com congressistas do PSL no Palácio do Planalto.

A decisão de Bolsonaro de abandonar o PSL decorre de uma longa disputa interna que se tornou pública quando o presidente afirmou a 1 correligionário, na frente do Palácio da Alvorada, que Luciano Bivar estava “queimado para caramba” em seu Estado.

A legenda está dividida em duas alas: uma bolsonarista, outra bivarista. Houve uma disputa para ver quem lideraria a bancada na Câmara. Antes, sob o comando do deputado Delegado Waldir (GO). Os apoiadores de Bolsonaro, quando conseguirem sair do PSL, devem migrar para a nova sigla.

0 0

About Post Author

Redação Brasil

Jornalista - MTB -0077859/SP
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Bolsonaro defende fim de contrato do governo com a TV Escola

© Marcel Plasse Bolsonaro defende fim de contrato do governo com a TV Escola O presidente Jair Bolsonaro defendeu o cancelamento de contrato do Ministério da Educação com a TV Escola, que incluiu o despejo da equipe da produção. Bolsonaro alega que os programas do canal eram todos de esquerda e seguiam […]

Subscribe US Now