Escritor Rubem Fonseca morre aos 94 anos, de infarto

Read Time1 Minute, 49 Second

Ele estava em seu apartamento no Leblon, no Rio de Janeiro

O escritor Rubem Fonseca, de 94 anos, morreu hoje (15), no Rio de Janeiro. Ele sofreu um infarto no fim da manhã desta quarta-feira, em seu apartamento, no bairro do Leblon. Ele chegou a ser levado para o Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio, onde os médicos tentaram reanimá-lo sem sucesso.

Em nota, a unidade hospitalar confirmou o falecimento de um dos maiores destaques da literatura brasileira: “O Hospital Samaritano de Botafogo informa que o Sr. Rubem Fonseca faleceu na tarde desta quarta-feira em decorrência de uma parada cardíaca. A instituição se solidariza com os familiares e amigos do escritor”, indicou a nota.

Formação e trajetória

Filho de portugueses, o contista, romancista, ensaísta e roteirista brasileiro Rubem Fonseca, que faria 95 anos no dia 11 de maio, nasceu em Juiz de Fora, Minas Gerais. Ele se formou em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade Nacional de Direito, da antiga Universidade do Brasil, hoje Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Chegou a trabalhar na polícia do Rio de Janeiro e foi exonerado em 1958, quando passou a se dedicar à literatura. A estreia foi com o livro de contos Os Prisioneiros, em 1963. Na sequência a cada dois anos vieram A Coleira do Cão e Lúcia McCartner.

Uma das obras de maior destaque do escritor, o livro de contos Feliz Ano Novo, lançado em 1975, foi recolhido pela censura no ano seguinte e a liberação só ocorreu em 1989, após uma batalha judicial sob a acusação de que a publicação era contrária à moral e aos bons costumes.

Essa não foi a única vez que precisou enfrentar a censura. O seu conto O Cobrador, vencedor do Prêmio Status de Literatura Brasileira 1978 também foi proibido.

Na literatura de Fonseca, tem lugar especial o romance Agosto, de 1990, que trata das tramas políticas que culminaram com o suicídio do presidente Getúlio Vargas.

Autor com estilo direto retratou entre outros assuntos a violência urbana.

Ainda não há informação sobre o velório, que por causa das restrições do isolamento social teve ser em cerimônia reservada da família.

Fonte: EBC – Agência Brasil

0 0

About Post Author

Redação Brasil

Jornalista - MTB -0077859/SP
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

12 pinturas de Cristo na arte russa

Os assuntos bíblicos são tema das obras russas de todas as escolas. Até mesmo pintores que se dedicavam a representar o povo simples, de pescadores a crianças, eram fascinados por Cristo como homem. 1. Aleksandr Ivanov. A Aparição de Cristo ao Povo. 1837-1857 Aleksandr Invanov/Galeria Tretiakov Ivanov trabalhou nesta imagem […]

Subscribe US Now